Declaração: Nós, os NNATs (crianças e adolescentes trabalhadores), lutamos por um trabalho mais justo, digno e humano.

¡25 anos de fracasso da campanha internacional da OIT!

Nosso Movimento Latino-Americano e Caribenho de Crianças e Adolescentes Trabalhadores reúne coletivos, redes e movimentos nacionais da Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Guatemala, México, Paraguai, Peru e Venezuela. Somos uma organização autônoma e composta por NNATs* que trabalham em áreas urbanas e rurais. Estamos envolvidos na venda de alimentos e doces, na criação de arte, no cuidado de crianças e na oferta de apoio educacional, tanto em tutoria quanto no ensino direto a outros meninos e meninas. Além disso, participamos ativamente das tarefas agrícolas, desde o plantio até a colheita. Não apenas contribuímos para o orçamento familiar e atendemos nossas próprias necessidades, mas também contribuímos para o desenvolvimento econômico de nossos países.

Lutamos pelo nosso direito ao trabalho em condições seguras e dignas, denunciando e rejeitando todas as formas de exploração da infância. Nosso trabalho em condições dignas não apenas gera riqueza, mas também nos educa, nos permite acesso ao brincar e facilita aprendizado contínuo, melhorando nossas circunstâncias para uma vida digna.

Já se passaram vinte e cinco anos desde que as políticas internacionais da OIT falharam, apesar da promoção ineficaz do dia 12 de junho, o Dia Internacional contra nós, as crianças e adolescentes trabalhadores. Como Movimento Latino-Americano e Caribenho de Crianças e Adolescentes Trabalhadores, rejeitamos veementemente suas políticas de erradicação porque testemunhamos que as ações da OIT são exclusivamente punitivas, envolvendo perseguição e discriminação contra as crianças e adolescentes trabalhadores.

Portanto, propomos:

  • Para os Estados: Defendam a dignidade de todas as crianças e adolescentes, garantindo que não sejam vítimas de exploração, tráfico humano, perseguição ou discriminação.
  • Para a Sociedade: Promovam a participação ativa de crianças e adolescentes no desenvolvimento de políticas p   úblicas e invistam mais na infância.
  • Para os Governos atuais: Garantam a implementação de políticas e leis que defendam e promovam o pleno exercício dos direitos das crianças.

Desde a fundação de nosso movimento há 36 anos, continuamos a reafirmar nossa luta por um trabalho mais justo, digno e humano.

¡Sim ao trabalho digno, Não à exploração!

*NNATs: Um termo genérico usado na América Latina para as ‘crianças e adolescentes trabalhadores’

× Déjanos un Mensaje
Send this to a friend